ATEAC - Instituto para Atividades, Terapias e Educação Assistida por Animais de Campinas
Twitter Facebook Flickr YouTube

Lion


Nome:

Lion

Raça:

Shitzu

Trabalha:

Clinica Gênesis e Corsini

Idade:

3 anos



Lion.
Como contar apenas uma história? Faz um ano que sou voluntária da ONG ATEAC e com muito orgulho participei de vários eventos!
Lion e eu voluntariamos há um ano no Centro Corsini (UAI) e desde o início deste ano na Clínica Gênesis. Participamos também do evento Livro Espírita CEAK, Pestalozzi Sumaré (Dia das Crianças) e no final do ano de 2011 em um evento para crianças carentes de Valinhos.

Foi esse pequeno e gorduchinho ser de apenas 3 anos que me fez perder o medo de cachorro, acredita? Foi esse cãozinho tão carinhoso e simpático que me fez ter a ideia de trabalhar voluntariamente ajudando ao próximo. Esse cão tão paciente e tranquilo que se dá bem em qualquer Socialização (e olha que participamos de quase todas) e ao mesmo tempo tão peralta e alegre que anima à todos.

Logo de cara vi como Lion gosta de criança e de gente. Muitas vezes no meu condomínio, chorava à porta, quando ouvia as crianças brincando lá fora, como se pedisse: “também quero sair e ir brincar!” Logo pensei no voluntariado com crianças! Como eu só tinha disponibilidade Sábado, deu certo de participarmos no Corsini. Ah, o primeiro dia! Todo animado e afobado para entrar logo e conhecer as crianças. E é assim até hoje! Lion chega bem próximo ao portão do Corsini e procura as crianças no vão abaixo do portão. E quando as crianças o veem! Que alegria! Lion abana o rabinho de um lado e as crianças tentam alcançá-lo do outro. Quando o portão se abre é o primeiro a querer entrar. As crianças querem passear com ele, passar a mãozinha, tocá-lo e até beliscá-lo! Rsss… Tem algumas crianças, especialmente as menores, que não tem noção de força e algumas vezes são agressivas, até pela condição que estão, em um abrigo. Mas Lion sempre paciente, não reage. Puxões no rabinho, no pelo, e ele apenas se vira, como se dissesse: “cuidado!” E como essas crianças aprenderam! Agora sabem fazer carinho com mais calma, respeitam mais o animal e o mais incrível, agora sabem falar o nome dele. Como é lindo ouvir uma criança de 1 ano ou dois tentando chamá-lo: “Lion”! Nunca esquecerei o dia em que Lion jogou bola com os meninos. No começo do jogo, dois ou três garotos estavam jogando bola e Lion apenas admirando. Depois resolveu participar. As crianças disseram: “tia, tira ele”! E eu disse: “ele também quer jogar”! E pronto: um jogador a mais no time! Uma interação maravilhosa criando confiança e respeito. O dia em que ele achou uma chupeta no chão então! Eu nunca havia mostrado uma para ele. Como ele sabia? Colocou-a prontamente na boca e as crianças divertiram-se muito, queriam tirar foto, não acreditaram! Nem eu!

Giovanni é uma criança muito especial. Não fala, fez traqueostomia e fica na cadeira de rodas. Muitas vezes triste e algumas vezes agressivo. Mas é só ver os cachorros que logo se anima e o mais importante: sorri! São muitas e muitas histórias em cada Sábado que voluntariamos juntos!

Depois de um tempo percebi que Lion não gostava só de crianças, mas gostava de gente. Resolvi tentar levá-lo na Clínica dos Idosos, ou, a melhor idade. Assim, no início deste ano de 2012, atendemos também na Clínica Gênesis. E está dando certo para a alegria dos vovozinhos e vovozinhas. No portão da Clínica, fica ansioso para entrar, mas logo percebe que tem que ser mais delicado. Claro que se alguém tem um petisco na mão, fica mais afobado, mas alguns gostam dessa pequena agitação. Quando tem que ser mais tranquilo, também sabe a hora. Até beijinho já deu na Dona Rute!

E em outras senhoras também. A Dona Lourdes, que infelizmente faleceu há poucos dias, era a favorita. Ficava na cadeira de rodas dela ou na cama, louquinho para beijá-la! Como ela adorava! E ele também! Que felicidade a dela quando chegava na sala e avistava os cães terapeutas! Uma vez, uma senhora estava chorando, com dor, saudades de casa e fui chegando de mansinho com o Lion e passando a patinha dele delicadamente no braço dela e ela foi se acalmando e sorrindo, abraçando-o.

Como no evento na Pestalozzi em Sumaré, onde Lion sentou no colo de um garoto em uma cadeira de rodas.

Também passeou com as crianças calmamente e deixou uma garotinha, que não possuía os dois braços, acariciá-lo com seus pés. Emocionante!

Momentos assim, nunca serão esquecidos! Passeios, carinhos, felicidades, realizações, conquistas! O que um cão terapeuta pode fazer pelas pessoas! É por isso, que tenho orgulho de fazer parte dessa ONG! Tenho orgulho de ter o Lion como cão terapeuta! E que continue por muitos e muitos anos!

Deise Agnani