ATEAC - Instituto para Atividades, Terapias e Educação Assistida por Animais de Campinas
Twitter Facebook Flickr YouTube

Jade


Nome:

Jade

Raça:

SRD

Trabalha:

Clínica Genesis e HC Unicamp

Aniversário:

26.05.2010



No dia 26 de junho de 2010, estávamos todos trabalhando normalmente no pet, quando pára uma moto no estacionamento. O motoqueiro desceu, e veio em minha direção dizendo assim : “Moça, será que eu posso deixar aqui com vocês, uma cachorrinha pra doação? Eu ganhei, é uma filhotinha, mas moro em apartamento e trabalho muito, não vou conseguir cuidar. É vira-latinha, mas é realmente bonitinha, vai doar rapidinho, você vai ver.”

Enquanto eu pensava na resposta, ele foi em direção à moto, desamarrou a caixa de papelão da garupa, e vinha trazendo pra dentro da loja, e me dizendo “dá só uma olhadinha nela”…  colocou a caixa no chão e quando abriu, uma coisinha com 1.700g pulou com as patinhas dianteiras na beira da caixa, e nos encarou com dois olhinhos azuis. Parecia uma cena de filme, nunca vou me esquecer dessa cena! Nossa tosadora na época, olhou e disse “Hããinnnn, que coisa mais lindaaaaaaaa!!!!!!!!! Fica com ela Téti!” .  Eu, muito racional: “Não tem como, já temos uma bullmastiff e um rottweiler.”

Mas olhei pro motoqueiro e disse, “E se não conseguirmos doá-la?” ele então respondeu que no dia seguinte voltaria pra ver se haveríamos conseguido um bom dono para ela, senão ele a levaria a outro lugar pra tentar doar. Com isso, acabei concordando.

Quando a colocamos na parte dos fundos da loja, ela corria, e pulava, cheirava tudo, estava tão a vontade que parecia já conhecer o local. Ficamos impressionados! Bebeu água, comeu toda a ração que lhe oferecemos, e brincou com o brinquedos, dormiu na caminha… parecia ter nascido ali. Ao final do dia, pensei: teremos que leva-la pra casa, pois um filhote sozinho vai chorar. Como a dona do prédio mora em cima da  loja, não poderíamos correr o risco de incomodá-la. E assim a levávamos para  casa todos os dias, durante 10 dias em que a deixamos para doação… e ninguém a adotou.

Minha avó me disse: “Você vai ficar com ela, bem. Ela te escolheu!” e não é que a minha querida avó estava certa?! Certíssima! A minha melhor amiga, companheira, filha canina querida do meu coração tinha me escolhido para cuidar dela… e ela também cuidou muito de mim! Há quem diga que nossa relação é coisa de outras vidas. Mas é mesmo impressionante como ela se faz entender através do olhar… sei cada reação dela, sei cada suspiro que essa peluda dá! E ela me entende tanto assim também.

Cresceu solta na loja, com gente e bicho entrando e saindo… recepciona todo mundo, abana o rabo de pincel, dá a barriga pra coçar e lambe os mais conhecidos e puros (adora criança!).

Então em 2011, a Catarina foi ä loja comprar um periquitinho… e ele, era meu xodó, por isso pedi a ela que o levasse lá pra eu vê-lo qualquer hora dessas. E então ela o fez! Levou o Charlie pra me visitar e então conheceu a Jade, e perguntou o que eu achava de levá-la para trabalhar como co-terapeuta. Eu amei a idéia, pois na verdade, meu sonho era uma Cavalier King Charles, treinada  para trabalho. Com isso, tratei de conhecer melhor o trabalho da ONG, fazer o curso de voluntária, passar a Jade pelos testes de prache, até iniciarmos os trabalhos.

Ela me supreendeu muito! Quando começou a trabalhar tinha por volta de 11 meses, era um pouco assustada as vezes, e isso me deixava apreensiva. Começamos na Pestalozzi, e foi maravilhoso! Para nós duas. E desde então não nos desgrudamos mais da Ateac.

Tenho profunda admiração pela Ong Ateac e seus voluntários… vocês moram em nossos corações.

Voluntária Téti Delhaye Rosa

Crédito da foto: Everson Taco