ATEAC - Instituto para Atividades, Terapias e Educação Assistida por Animais de Campinas
Twitter Facebook Flickr YouTube

Histórico


 

A iniciativa de fundar o Instituto para Atividade, Terapia e Educação Assistida por Animais de Campinas (ATEAC), surgiu no final de 2004, após uma experiência pessoal da bióloga Silvia Ribeiro Jansen Ferreira. Seu filho Daniel, portador da Síndrome de Asperger (autismo), obteve melhora significativa na sua capacidade motora e social devido ao convívio com Luana, cadela da raça Labrador. Devido a essa interação, Daniel voltou a estudar e foi o primeiro portador da síndrome a defender uma tese de mestrado no Brasil.
 
Diante disso, a bióloga, que já tinha conhecimento do trabalho da “Delta Society” (organização internacional sem fins lucrativos que promove a melhoria da saúde humana e qualidade de vida com a ajuda dos animais), iniciou o trabalho distribuindo cartazes em padarias e pet shops na tentativa de encontrar voluntários adeptos a ajudá-la nessa causa. Entrou em contato com instituições oferecendo o tratamento, rompeu barreiras do preconceito e em 2005, iniciou o atendimento em um núcleo e um abrigo para menores. Em 2006, por meio de indicação, as atividades tiveram inicio na Associação para Desenvolvimento de Autistas (Adacamp).
 
Finalmente, em 2007, a ATEAC constituiu-se como Órgão Não Governamental. No ano de 2008 iniciou-se o atendimento no Mario Gatti – hospital pioneiro em Campinas a receber a terapia assistida por animais. Nos anos seguintes, a ATEAC passou a atender o Hospital das Clínicas da Unicamp, Hospital Ouro Verde e Hospital de Nova Odessa. Com o desenvolvimento do trabalho, a Terapia Assistida por Animais tornou-se reconhecida e valorizada por muitos profissionais da área de saúde.


Fotos de atendimentos da Luana, responsável pela fundação da ONG ATEAC